26 de Março

“Um dia eu fitei a Cruz e pensei finalmente entender toda a extensão do amor de meu Deus; mas quando eu contemplei o Tabernáculo sagrado, onde para mim o mesmo Deus continua a ser um prisioneiro do amor, eu vi que então eu tinha descoberto a perfeição do amor, ou melhor, o excesso do amor de meu Deus”.

(S. Leonardo Murialdo, Escritos VII, p. 437)

This post is also available in: Italiano Espanhol