48. A fonte bíblica da espiritualidade educativa de Murialdo

O autor tem folheado os Escritos de Murialdo para saber como e quanto Murialdo citou a Sagrada Escritura. As muitas citações, tomadas, tanto do Antigo Testamento como o Novo Testamento, nos dizem da familiaridade Murialdo com a Bíblia, um texto dele muito conhecido e que, muitas vezes recorria em sua pregação, tanto com os meninos como para os irmãos. Além da curiosidade que tal pesquisa pode despertar, Murialdo continua a ser um exemplo neste campo, isto é, aquele de fazer da Bíblia não só um livro conhecido, mas sobretudo uma fonte de sua pregação e da própria meditação. Finalmente, é sempre importante colocar a citação no seu contexto, para conhecer o porque Murialdo estava se referindo àquela frase da Bíblia, e qual a interpretação que ele deu para o texto citado. O trabalho feito, então, é um ponto de partida fundamental para outros aprofundamentos, que esperamos alguém possa fazer.

Padre Alejandro Bazan

Se você quiser aprofundar...

48. A fonte bíblica da espiritualidade educativa de Murialdo – Contribuições para a reflexão            (P. Alejandro Bazan)


 

Este documento pretende ser um primeira contribuição para o aprofundamento sobre bíblicos “fontes bíblicas” da espiritualidade educativa de São Leonardo uma vez que estas foram as que estruturaram a sua vida, e, portanto, também sua ação educativa.

Para poder trabalhar este tema, tomamos como base os “Escritos” de Murialdo (15 volumes) e seu “Testamento Espiritual”, servindo-nos especialmente dos índices de ambos os textos. Ainda que não fosse possível trabalhar sobre seu “Epistolário”, acreditamos que a grande quantidade de citações analisadas (mais de 5700) é uma mostra ótima para elaborar conclusões.

O método de trabalho foi centralizado principalmente no estudo quantitativo destas citações bíblicas, destacando as que se repetem com mais frequência, porque são um sinal de que essa frase ou versículo era muito importante para Murialdo. É verdade que esta perspectiva de análise também tem limites fortes, porque há momentos que uma única citação, como a do”Pai misericordioso/filho pródigo” no Testamento Espiritual, abarca toda uma página de reflexão e caracteriza profundamente a sua espiritualidade, e tantas outras citações que só são mencionadas ao passar, com uma só palavra, como enriquecimento para o aprofundamento de algum tema. Mas, mesmo cientes dessa dificuldade, acreditamos que a análise de repetidas aparições de algumas citações nos oferece um perfil bastante fidedigno da espiritualidade de São Leonardo.

Do trabalho de catalogação das citações bíblicas mais utilizadas, apresentaremos aqui apenas aquelas que são repetidas mais de 20 vezes nesses escritos e tentaremos traçar a partir delas um perfil espiritual de Murialdo e apresentar os possíveis desenvolvimentos pedagógicos delas decorrentes.

Murialdo constantemente, citava a Sagrada Escritura. Isto nos fala de um conhecimento, de uma prática e de um amor imenso pela Palavra de Deus. Nos documentos que analisamos encontramos 5.717 citações bíblicas, das quais 2083 são do AT e 3634 são o NT. De todas estas, apenas 89 pertencem a seu Testamento Espiritual. Os livros mais citados por Murialdo são os Evangelhos de Mateus, João, Lucas e o livro dos Salmos.

 

As citações bíblicas preferidas de Murialdo

Nessas citações bíblicas, ordenadas segundo a quantidade de vezes que aparecem nos escritos de Murialdo e da parte sublinhada da frase mais repetida por ele, podemos já intuir quais eram os temas mais importantes de sua espiritualidade (Nota: As citações estão interrompidas para reduzi-las).

1. Lc 10,42: mas, uma só é necessária, Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada (35)

2. Jo 3,16: Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho.. Aquele que Nele crê tem a Vida Eterna (33)

3. Gal 2,2: não vivo eu, é Cristo que vive em mim…Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim (30)

4. Pr 8,31: mina alegria, mina delicia era estar com os filhos dos homens (27)

    Ap 3,20: eu estou à porta e chamo: se alguém ouve mina voz e me abre, entrarei e cearemos (27)

5. Mt 11,29: aprendam de mim, porque sou paciente e humilde de coração, e assim encontrarão alívio (26)

    Lc 10,16: Quem vos ouve, a mim me ouve; e quem vos rejeita, a mim me rejeita; (26)

    Lc 12,48: A quem foi dado muito, será pedido muito; e a quem foi confiado(26)

    Jo 15,16: eu escolhi vocês, os destinei para que vão e deem fruto (26)

6. Sal 76,11: «Como tem mudado a direita do Altíssimo!». Nunc coepi” (24)

     Mt 16,26: De que servirá ao homem ganhar o mundo inteiro se perde a sua vida? (24)

     Mt 25,21: bem, servidor bom e fiel, … entra a participar da alegria (24)

     Jo 15,15: os chamo amigos, porque os tenho dado a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai (24)

     1 Jo 3,2: somos filhos de Deus. … seremos semelhantes a ele, o veremos tal qual é (24)

7. Sal 15,5: O Senhor é a parte de minha herança e meu cálice, tu decides minha sorte! (23)

     Mt 5,19: estes mandamentos… que os cumpra e ensine, será grande no Reino dos Céus (23)

     Mt 16,24: «Aquele que quer seguir-me que renuncie…, carregue sua cruz e me siga (23)

     Jo 20,23: Os pecados serão perdoados aos que vocês perdoarem, … (23)

8. Mt 11,28: Venham a mim todos os que estão aflitos e angustiados, e eu vos aliviarei (22)

     Mt 19,21: Se queres ser perfeito vá, vende o que tens e dá aos pobres… vem e segue-me (22)

     Mt 19,29: o que por meu Nome deixe …receberá cem vezes mais e como herança a Vida (22)

     Mt 25,41: Afastem-se de mim, malditos; idem para o fogo eterno que foi preparado para ele (22).

     Jo 15,5: Eu sou a vida, … separados de mim, nada podem fazer (22)

     Ap 3,21: Ao vencedor o farei sentar comigo no meu trono… (22)

Algumas impressões a respeito dos resultados da pesquisa

O primeiro que chama a atenção é a quantidade imensa de citações que Murialdo incorpora, usa e aplica em seus escritos. Ele vai entrecruzando suas ideias com textos e citações bíblicas. Tantas vezes expressa seus sentimentos e desejos com as palavras de um salmo ou com alguma expressão textual da Palavra. Murialdo, geralmente, em sintonia com a forma comum de citar textos bíblicos daquela época – através da inserção de pequenas frases retiradas da antiga versão latina da “Vulgata” – enquanto ele estava desenvolvendo seu pensamento espiritual e apostólico, o ia enriquecendo com frases da Palavra. Seu amor pela Sagrada Escritura, testemunhada também por seus biógrafos e conhecidos, manifesta-se claramente nesta superabundância de referências bíblicas, onde quasenão há uma página de seus escritos que não possua múltiplas citações.

Em princípio, os temas mais destacados por Murialdo em seus escritos e no Testamento Espiritual coincidem com as expectativas lógicas que surgem dos estudos realizados nos últimos 30 anos sobre a espiritualidade de São Leonardo. A prioridade do amor de Deus, sua revelação e realização salvadora em seu Filho encarnado por amor, nossa eleição em Jesus Cristo para ser seus discípulos compartilhando sua vida e para ser seus apóstolos, a gratidão por seu amor infinito, a exortação à conversão e ao perdão, o educar os jovens para que tenham vida em abundância, a consciência da responsabilidade pela representar Jesus… são todos os temas que poderiam relacionar-se a partir dos estudos já realizados sobre a espiritualidade do nosso fundador.

Para mim era novo e de certo modo, inesperado, a frase mais citada por Murialdo: “uma só coisa é necessária, e Maria escolheu a melhor parte”; frase que, como sabemos forma parte da resposta de Jesus à Marta quando esta lhe reclamava porque ele não intervia para que sua irmã Maria lhe ajude nos afazeres domésticos e na atenção aos recém-chegados. Em sua resposta, Jesus diz que estar com ele e ouvir a sua Palavra tem prioridade sobre toda outra atividade por melhor que seja!

A maneira como Murialdo ressalta e repete a frase: “uma só coisa é necessária”, me leva a pensar na exigência de uma escolha fundamental de vida: ou tudo por Cristo, dando absoluta prioridade a sua pessoa para alcançar a salvação, ou a triste mediocridade da tibieza espiritual… Parece retomar com força a necessidade de optar entre “Os dois caminhos” que nos propõe o Salmo 1, ou a conhecida meditação dos exercícios espirituais inacianos sobre “As duas bandeiras”. Tem que jogar e escolher. Não se pode estar em ambos os lados de uma vez, porque neste joga-se o mais importante: a salvação eterna…!!! É também a “salvação” o objetivo da pergunta de Jesus: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida…?” que Murialdo cita também abundantemente. Optar por Cristo é buscar a santidade: estar com ele e contemplá-lo, escutar a Sua Palavra e praticá-la! A segunda parte do versículo: “Maria escolheu a melhor parte”, lembra, sobretudo, o chamado vocacional de Deus, que por amor nos consagra e nos permite servi-lo, entregando-nos para a salvação dos jovens.

A segunda coisa que me chamou a atenção foi a importância que atribui ao prêmio escatológico final. Certamente este tema, que está diretamente relacionado com a “salvação” forma parte da espiritualidade do seu tempo e o estranho foi que não apareceu abundantemente. Provavelmente, o fato de que me chama a atenção, em parte, é porque hoje, os temas “escatológicos” quase desapareceram da vivência espiritual quotidiana do cristão. Se bem que eu sabia que encontraria citações relacionadas à morte, o juízo, purgatório, o céu ou ao inferno, o julgamento final… As pensava menos acentuadas e mais focadas no perigo do inferno e nos castigos merecidos pela infidelidade… Em troca, como se vê nos textos citados por Murialdo, as citações bíblicas que repete estão centradas, sobretudo, no prêmio e no compartilhar a glória. Parece que a visão das questões escatológicas em Murialdo estava muito mais marcada pela esperança confiante de compartilhar por misericórdia divina a glória do Reino, que pelo medo ao castigo do pecado.

Pensava, também, que encontraria muitas citações relacionadas com a ascética cristã, ao esforço humano, ao sacrifício, a força de vontade… Especialmente, porque imaginava que os textos mais místicos de Murialdo – o amor infinito, misericordioso, terno, atual, pessoal, terno, gratuito… – de que tudo é graça, de seu amor providente, de uma imagem de Deus como a do Pai misericordioso da parábola, etc. era o melhor fruto maduro de seus últimos anos, quando releu toda a sua vida com o sábio olhar da fé que encontramos em seu Testamento Espiritual. Certamente, há muitos textos que exortam o esforço ascético, em linha com a espiritualidade do seu tempo, mas não são de forma alguma os mais importantes nem os mais repetidos.

Acredito que isso nos fala de uma espiritualidade de Murialdo que, apesar de ter clara a importância de nossa contribuição pessoal de conversão e de caminho ascético no seguimento de Cristo, está muito mais deslumbrada pela ação da graça que, revelando-nos o amor Pai, nos transforma e modela à imagem de Jesus Cristo em uma passividade ativa que acolhe a obra de Deus e se deixa educar por ela.

 

Perfil espiritual de São Leonardo Murialdo

A partir destas, as citações mais repetidas por Murialdo, pretenderemos construir o seu perfil espiritual

(Nota: as citações de referência aparecem parafraseadas em itálico)

O único necessário … e a melhor parte …

  • São Leonardo Murialdo lembra-nos que uma só coisa é necessária: seguir Jesus para alcançar   a salvação e entregar-nos pela salvação dos jovens, porque essa é a melhor parte.

É o amor de Deus revelado em Seu Filho…

  • Deus amou tanto o mundo que nos deu o seu Filho único, para que tenhamos a Vida Eterna.
  • Cristo nos amou e se entregou por nós, para que pudéssemos viver nele, e ele em nós.
  • Ele está sempre à porta e bate, se abrirmos entrará e comerá conosco.
  • Porque a sua alegria é estar com os filhos dos homens.

que nos tem escolhido e chamado…

  • Ele nos escolheu e nos chamou “seus amigos” porque nos deu a conhecer tudo o que tinha ouvido do Pai.
  • Exortou-nos a aprender dele que é manso e humilde de coração.
  • Fez-nos experimentar que só o Senhor é parte de nossa herança…

e nos predestinou para que vades e deis fruto abundante e

… Para ser discípulos de Jesus…

  • Disse-nos que vamos a ele, todos os que estão aflitos e sobrecarregados, e que ele nos aliviará.
  • Convidou-nos a segui-lo: Se queres … vem e segue-me! …
  • lembrando-nos que, para ser seu discípulo deve renunciar a si mesmo, tomar a cruz e segui-lo.

… E missionários do Evangelho…

  • Fazendo-nos presença sua entre seu povo: quem a vocês ouvem, a mim ouvem.
  • Convidando-nos com urgência à conversão: “agora começo…
  • Porque separados dele nada podemos fazer.
  • Fazendo-nos ministros do perdão: os pecados serão perdoados aqueles que os perdoem
  • e educadores de seu povo: quem cumpre os meus mandamentos e ensiná-los será grande.
  • Conscientes desta grande responsabilidade porque a quem muito foi dado, muito será pedido…
  • e porque no final seremos julgados pelo amor: Apartai-vos de mim…! quem não amou.

… Esperando alegres a plenitude e do Reino.

  • Confiantes na sua promessa de receber cem vezes mais em prêmio a Vida Eterna…
  • Pedimos ao Senhor o dom de ser bons e fiéis servidores para entrar e participar de sua alegria…
  • e para que ele nos faça sentar cosigo em seu trono quando reinar junto ao Pai.
  • Agora somos filhos de Deus e o que seremos ainda não foi revelado… quando se manifeste, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é.

 

Algumas considerações a partir do ponto de vista educativo

Primeiramente, é importante lembrar que em Murialdo espiritualidade e serviço educativo não são duas coisas diversas ou dois âmbitos diferentes em sua vida, senão uma única e mesma experiência integradora de toda sua vida. Não existiu um Murialdo que viveu uma forte espiritualidade com Deus e que também trabalhou na educação dos jovens… Existiu apenas o Murialdo que, transformado (educado) pela experiência do amor de Deus, que deu sentido, plenitude e alegria a sua vida, entregou-se inteiramente para que os jovens, especialmente os mais pobres e necessitados pudessem viver esta mesma experiência transformadora (educativa) do amor de Deus e, assim, ter vida abundante em Cristo.

Portanto, as mesmas fontes bíblicas de sua espiritualidade serão os fundamentos que caracterizam a sua doação no serviço educativo-evangelizador dos jovens. Seguindo o esquema de organização anterior, poder-se-ia falar de:

“O único necessário… e a parte melhor…”: Trata-se de educar à liberdade… e, portanto, na liberdade. É trabalhar para que os jovens sejam capazes de optar livremente, como protagonistas, e de ser fieis a essas opções… É, acima de tudo, ajudar para que sejam capazes de realizar sua opção fundamental de vida, opção que para Murialdo, em última instância era “ou por Cristo ou contra Cristo”. Esta opção fundamental por Jesus Cristo é a “única coisa necessária”: é o “ne perdantur”, a salvação… o “educar para o paraíso”. A “melhor parte” convida avaliar o serviço educativo- evangelizador dos jovens. É a imensa dignidade do educador, que segue os passos de Jesus Mestre e ” “re-presenta” para que os jovens tenham vida abundante Nele.

“… É o amor do Pai revelado em Seu Filho…”: Deus Trindade, que nos criou por amor e para viver em comunhão eterna de intimidade com ele, com os nossos irmãos e com a criação, foi educando-nos como povo com a sua ternura pedagógica para ser capazes de acolher seu Filho encarnado, a revelação do amor do Pai, e de ser transformado pelo Seu Espírito. Esta divina pedagogia do amor nos modela para poder viver plenamente a nossa dignidade de filhos de Deus em Jesus Cristo. Pedagogia de Amor que Murialdo experimentou em sua própria história pessoal, especialmente em sua passagem “pascal”, desde a crise de sua adolescência até a feliz experiência de sentir-se perdoado e ressuscitado pela misericórdia do Pai e chamado a seguir Jesus no ministério sacerdotal como dom imerecido de sua ternura divina. São Leonardo, quando, em seguida, fundará a Congregação de São José dedicada à educação, pedirá a seus irmãos que “empenhem-se em difundir o conhecimento do amor infinito, atual, e individual que Deus tem por todos os homens”… porque “Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós”… Uma verdade que Murialdo sempre transmitiu a seus jovens como o tesouro fundamental de sua proposta educativa. A experiência de sentir-se apaixonadamente amado por um Deus que quer compartilhar a nossa vida, nos chama, nos espera com paciência, que gosta de estar ao nosso lado… o cativou e o estimulou a entregar-se inteiramente para que os jovens também pudessem experimentar esta plenitude da vida.

“…Que nos escolheu e chamou…”: A experiência de sentir-se escolhidos e chamados pessoalmente por amor gera novas relações interpessoais, calorosas e positivas. Nelas, cada jovem poderá sentir-se amado com predileção, de modo pessoal e único, e estas, por sua vez, o ajudarão a amadurecer para que ele também possa construir novas relações verdadeiras e afetuosas com aqueles que o rodeiam. Esse clima de relações caracterizadas pela ternura, que Murialdo definia como “o novo método educativo” é o que fundamenta aquela “bem unida família” que deve incluir toda a comunidade educativa; superando as relações com base na função e hierarquia por aqueles fundadas no afeto, para ser “amigos, irmãos e pais” dos jovens. Quem se sente amado cresce em sua autoestima, aprende a amar-se a si mesmo e se abre para amar o próximo e ao criado. O amor que é o motor de todo o processo educativo, pois fornece motivação, sustenta o esforço, libera as múltiplas potencialidades da inteligência emotiva, estimula o ardor por conhecer a verdade e por servir da melhor maneira os outros fazendo bem o bem!

“… Para ser discípulos de Jesus…”: Uma proposta educativa integral e unificada, que vê em Jesus Cristo a realização de toda a plenitude humana e, que portanto, busca educar-evangelizando e evangelizar-educando. A proposta kerigmática de encontro com Jesus Cristo para segui-lo e ter a vida plena e abundante nele, é a fonte, o núcleo e o objetivo do nosso serviço educativo. Uma proposta dirigida para a liberdade: “Se queres… podes seguir-me”, que ao educar valoriza todo o passo verdadeiramente humanizador como caminho de evangelização e que, no respeito da liberdade pessoal, propõe claramente um sucessivo caminho de crescimento na fé para realização humana em Cristo (cf. Populorum Progressio 21).

“…E missionários do seu Evangelho…”: No rosto das crianças de rua, nos órfãos e abandonados, nos jovens em crise… Murialdo experimentou ainda com mais força o apelo urgente de Jesus para colocar-se a serviço educando para que sejam “bons cristãos e honestos cidadãos”. Desde os seus primeiros passos apostólicos, colaborando e, em seguida, assumindo a direção de alguns oratórios de Turim, em favelas, a opção de aceitar o cargo de reitor dos Artigianelli, que o envolveu até o último dia de sua existência nesta terra e, especialmente, com a opção de fundar a Congregação para que este serviço não acabasse no momento da sua morte… tudo em Murialdo foi viver a sua vocação de serviço a Jesus Cristo, através da educação dos seus jovens, especialmente os mais pobres e necessitados. Ele exortava seus irmãos e educadores a compreender de que somos instrumentos de Cristo, de que precisamos estar unidos a ele, porque sem Jesus nada podemos fazer, da urgência de ensinar o caminho da vida própria do Evangelho e de ajudar a conversão para poder acolher o perdão misericordioso de Deus. Toda a sua vida de educador brotava da consciência de ser apóstolo a serviço dos jovens, para que tenham vida e vida em abundância em Cristo. Consciente desta responsabilidade convidava a todos, educadores e os jovens, a serem responsáveis, porque em última análise, seremos julgados pelo amor que temos dado aos nossos jovens.

“… Esperando alegres a plenitude do Reino”: Dizem que “quem não sabe para onde está indo, qualquer estrada o levará bem!”… Murialdo, no entanto, tinha muito claro qual era o objetivo de todo o seu caminho pessoal e do trabalho educativo que deveria oferecer aos seus jovens: participar da glória do Pai na comunhão eterna do seu Reino… e esperava ansioso para descobrir a plenitude do mistério escondido em nós: ser filhos de Deus. Isso não significa, em absoluto, um ignorar o esforço cotidiano para uma vida mais digna, justa e solidária. Pelo contrário… justamente, porque temos consciência dessa meta prometida para a plenitude dos tempos, nos comprometemos, hoje, a trabalhar com todas as nossas forças para começar a construir o Reino de justiça, de amor e de paz; e nosso modo específico de ajudar a construir o Reino é a educação cristã dos jovens, especialmente, os mais necessitados. “Porque temos esperança… não podemos esperar!” (… de braços cruzados!!!). Quem tem esperança, trabalha para acolher o futuro! Murialdo não só ofereceu a educação intelectual, mas, também, a profissional. Ajudou a cada um inserir-se ativa e positivamente na sociedade, acompanhando inclusive os seus primeiros passos de autonomia de vida. A esperança do amanhã estimula e compromete com o presente! Ainda olhando para a Ressurreição final e, justamente, por isso, laboriosidade, solidariedade, responsabilidade, exigência de qualidade, criatividade… sempre caracterizaram a proposta formativa de Murialdo.

Há muitas outras dimensões que deveriam ser estudadas a partir do modo de usar e viver a Palavra em Murialdo… estas são apenas uma pequena contribuição para começar a pensar sobre o tema…

 

Alejandro Bazán

 

Nota:

Quantidade de citações de Murialdo por livro bíblico:

A.T: Gênesis: 103; Êxodo: 38; Levítico: 4; Números: 5; Deuteronômio: 20; Josué: 21; Juízes: 3; 1 Samuel: 31; 2 Samuel: 23; 1 Reis: 9; 2 Reis 10; 1 Crônicas: 3; 2 Crônicas: 5; Tobias: 14; Judith: 3; Esther: 5; 1 Macabeus: 6; 2 Macabeus: 14; Jó: 48; Salmos:741; Provérbios: 92; Eclesiastes: 79; Cântico dos Cânticos: 77; Sabedoria: 121; Eclesiástico: 103; Isaías: 224; Jeremias: 103; Lamentações: 37; Baruc: 4; Exequiel: 54; Daniel: 22; Oséias: 21; Joel: 11; Amós: 1; Jonas: 1; Zacarias: 8; Malaquias: 19;

N.T: Mateus: 920; Marcos: 133; Lucas: 602; João: 605; Atos Apóstolos: 81; Romanos: 66; 1 Coríntios: 279; 2 Coríntios: 111; Efésios: 78; Filipenses: 88; Colossenses: 14; 1 Tessalonicenses: 22; 2 Tessalonicenses: 5; 1 Timóteo: 64; 2 Timóteo: 27; Tito: 14; Hebreus: 138; Tiago: 43; 1 Pedro: 38; 2 Pedro: 11; 1 João: 94; Apocalipse: 201.

Total: AT: 2083                 NT: 3634             Total: 5.717 citações bíblicas.

Destas: 5628 se encontram nos “Escritos” e 89 no “Testamento Espiritual”.

This post is also available in: Italiano Inglês Espanhol